COMO FECHAR O SEU ARQUIVO PARA ENVIÁ-LO À GRÁFICA?

COMO FECHAR O SEU ARQUIVO PARA ENVIÁ-LO À GRÁFICA?

AF-20181230-Blog-Fechamento-de-Arquivo

Fechamento de arquivos: você sabia que existe um jeito certo para o envio do seu arquivo para impressão em uma gráfica?

Quando você precisa de uma impressão de qualidade é indispensável entregar o seu trabalho nas mãos de quem entende e tem expertise de sobra. E você faz isso porque confia em uma série de atributos e está seguro de ter encontrado uma gráfica parceira. Mas, além disso, para garantir que seus impressos atendam às expectativas, é preciso que o arquivo seja enviado de uma forma específica. A aplicação dessas características para o envio à gráfica é o que se chama fechamento de arquivo.

Antes de enviar um arquivo para impressão, você deve se atentar a cinco requisitos para evitar problemas: formato de arquivo, modo de cores, área de segurança, sangria e resolução de imagens.

FORMATO DE ARQUIVO: a melhor maneira de enviar a arte do seu projeto é em formato PDF, pois ele agrupa todos os elementos do arquivo garantindo a sua visualização em qualquer outro computador ou dispositivo, sem que nada se perca.

MODO DE CORES: é um aspecto que normalmente acaba passando despercebido na hora de apertar o “Send” do seu e-mail e que faz uma diferença tremenda. Qualquer imagem destinada à impressão deve ser configurada no modo CMYK, as iniciais em inglês das cores ciano, magenta, amarelo e preto, as que darão origem às demais cores.

Aí vai uma curiosidade: por que usaram a letra K – e não B – para abreviar “black”? Porque, antigamente, a chapa principal de impressão (na cor preta e com maior detalhe artístico) era chamada de “Key plate”. E também para evitar a confusão com a letra B do modo de cor RGB (Red, Green, Blue).

E por falar em RGB, esse é o modo de cor utilizado para a visualização em telas de qualquer dispositivo. Não é aconselhado para a impressão porque há combinações que o modo CMYK não é capaz de reproduzir, principalmente cores muito brilhantes, ocasionando problemas de correspondência de cores no resultado final.

Existe ainda o modo PANTONE, que são cores especiais que exigem uma tinta diferente e que também não podem ser reproduzidas pelo CMYK, como o efeito metalizado de algumas cores.

ÁREA DE SEGURANÇA E SANGRIA

O que é isso? Basicamente é a indicação gráfica do que deve ser recortado ou preservado em seu impresso. A área de segurança é um limite interno para que os elementos do arquivo não fiquem muito próximos à borda correndo o risco de serem cortados durante o acabamento. A sangria é o oposto: é a marcação além da borda e que evita filetes brancos após o corte do material.

RESOLUÇÃO DE IMAGENS: com certeza você já ouviu falar em “dpi”. Essa sigla é a abreviação de “dots per inch”, em português, “pontos por polegada”. Quanto mais pontos por polegada a sua imagem tiver, maior será o nível de detalhe e melhor será a sua resolução. Porém, não caia no erro de aumentar demais o número de “dpi” para garantir a melhor resolução possível; uma boa qualidade pode ser assegurada com 300 dpi. É preciso ter atenção e cuidado ao usar imagens da internet, pois elas estão otimizadas para o acesso digital, em 72 dpi (que facilmente desfocam quando impressas). Opte por fazer o download em bancos de imagens ou de outras fontes confiáveis.

Preparamos também um passo a passo, disponível para download, de como fechar seus arquivos em Corel, Indesign, Ilustrator e Photoshop. Confira!

20181214 Botão Baixe Nosso E-Book-01